[BigN] Anunciado o Console Nintendo Switch (Code nome NX)

Rapidinha para falar que a Nintendo finalmente anunciou e mostrou a cara e funcionalidades do seu novo console para jogos, o Nintendo Switch! Portátil que também é um console de mesa com controles destacáveis e jogos em cartuchos ou por download.

Read the rest of this entry »

Gostei(6)Não Gostei(0)

Ratchet and Clank – Cuspindo Plataformas

 

Desde Crash Bandicoot no PSX os jogos de plataforma me fascinam. Infelizmente com as novas gerações muito desta magia se perdeu. Tanto que, no PS3, jogos desde tipos são escassos e, na maioria das vezes, ruins. Conheci Ratchet and Clank no PSP com o game Ratchet & Clank: Size Matters, que não cheguei a jogar e, já no PS3 peguei Ratchet & Clank Future: Quest for Booty no “Welcome Back” da PSN e foi decepcionante de tão curto o jogo é.

 

Ratchet and Clank no PS4 é a reimaginação do primeiro R&C, um remake feito do zero sem medo de inovar e mudar e podemos dizer que a Insomniac foi muito feliz ao mudar e zerar a história do jogo no PS4 e fez isto de forma perfeita, são 12 Mundos abertos para explorar cheios de segredos, o que garantem horas de gameplay, 15 armas com 2 variações além da comum (logo são 45 variações de armas, todas com upgrades).Há anos eu esperava de um jogo desses! Desde que Neil Druckmann, diretor e criador de The Last of US e diretor de Uncharted 4 disse que o gênero plataforma havia morrido e que ninguém mais se interessava. Se eu fosse Shuhei Yoshida mandava uma suspensão de 3 dias para um pensamento canalha desses.

 

R&C cospe plataformas e traz aquela sensação de infância novamente. Joguei like a boss, que nem um a maluco fanático. Parecia o urso do pica-pau correndo para lá e para cá, explorando cada centímetro do jogo.

 

Acredito que o jogo alcançou seu propósito, sem ser tão curto como o Quest for Booty (que em menos de 2 horas dá para fechar),  e não se estendeu ao ponto de ficar cansativo. Cada mundo tem sua própria história, todas se conectando no final e ainda existem ótimos mini games como o de skate e as fases que se desliza nos trilhos. O jogo te cativa a jogar mais e mais e, graficamente, está lindo e, tecnicamente, bem feito. Pegar o parafuso dourados nos dá várias opções legais, de poder usar filtros in-game como em inFamous Second Son, The last of Us, Uncharted Drake Collection e,até mesmo, cheats como munição infinita. Para quem gosta do estilo este reboot é indispensável. É uma pena que não tenha expansões.

 

 

Existem alguns pontos fracos, como a impossibilidade de se ter um save game separado para uma mesma conta mas isso parece regra nesta geração de consoles e o sistema de level do jogo que ficou extensivo além da conta, dificultando muito para quem quer platinar o jogo, prepare-se para dar new game mais 2~3 vezes para conseguir platina nesse jogo. Até pensei que conseguiria mas acabei desanimando feio, e olha que quando o jogo me cativa como este cativou, não paro até conseguir o tão sonhado troféu brilhante.

 

Quem fez pre-order ganhou uma arma exclusiva, tão exclusiva que ficamos com um slot vazio no menu de armas e não tendo nem mesmo a possibilidade de comprá-la separado.

Nota?…DE FORMA ALGUMA, no NewsInside não damos nota aos jogos. O MetaCritic está aí pra isso. Aqui teremos somente a minha simples opinião.

Quem jogou aí? O que achou de bom e ruim?

Gostei(0)Não Gostei(0)